quarta-feira, 28 de agosto de 2013

HISTÓRIA DA CANÇÃO YOUR SONG




Queridos amigos, por gostar muito do trabalho de Elton John resolvi pesquisar sobre uma das músicas mais bonitas do trabalho dele: Your song. 
Espero que vocês se deliciem nas variadas interpretações dessa maravilhosa canção e se tiverem alguma contribuição mandem pra cá. Grande abraço!

Cláudia Cavalcante


                                        YOUR SONG

"Your Song" é uma canção composta por Elton John (música e Bernie Taupin (letra) em 1967.  Está em seu segundo álbum, intitulado "Elton John", e foi seu primeiro single nas paradas de sucesso.
Um cover cantado por Ewan McGregor para Nicole Kidman foi incluído no musical Moulin Rouge!
Your Song é conhecida por ter sido escrita em um tempo extremamente curto. Taupin (com dezessete anos) escreveu a letra durante o café da manhã e Elton demorou vinte minutos para compor a música para ela.

Artistas que gravaram covers desta canção



Links pesquisados: http://pt.wikipedia.org/wiki/Your_Song

                                    Links interessantes com a canção:

http://youtu.be/VJaWmGVQ5Ws  - Elton John com legendas

http://youtu.be/mTa8U0Wa0q8  - Elton John - 1970

http://youtu.be/q0MZHLANt4U - Toccata Coral e orquestra

http://youtu.be/X182hj3xX4M - Elton John/ Ronan Keating

http://youtu.be/S_4O1GohFDE - Coral Arte em canto

http://youtu.be/gZG9ACkDV98 com a interpretação de Vanessa Spalding.

http://youtu.be/bvfw7Xzgre8 com Ângela Cavalcante interpretando e Cláudia Cavalcante ao piano.



                                        LETRA:

Your Song

It's a little bit funny this feeling inside                 
 I'm not one of those who can easily hide
I don't have much money but boy if I did          
I'd buy a big house where we both could live

If I was a sculptor, but then again, no                 
Or a man who makes potions in a travelling show
I know it's not much but it's the best I can do    
My gift is my song and this one's for you

And you can tell everybody this is your song   
It may be quite simple but now that it's done
I hope you don't mind    I hope you don't mind that I put down in words
How wonderful life is while you're in the world

I sat on the roof and kicked off the moss    
Well a few of the verses well they've got me quite cross
But the sun's been quite kind while I wrote this song   
it's for people like you that keep it turned on

So excuse me forgetting but these things I do      
You see I've forgotten if they're green or they're blue
Anyway the thing is what I really mean        
Yours are the sweetest eyes I've ever seen
                                                      

TRADUÇÃO:

Sua Canção

É um pouquinho engraçado este sentimento dentro de mim 
Eu não sou do tipo que consegue esconder facilmente
Não tenho muito dinheiro, mas garoto, se eu tivesse
Compraria uma casa grande onde a gente pudesse viver

Se eu fosse um escultor, mas de novo, não sou
Ou um homem que faz poções em um circo
Eu sei que não é muito, porém é o melhor que eu posso fazer
Meu presente é minha canção e esta é para você

E você poderá contar para todo mundo: Esta é sua canção
Talvez ela seja bastante simples, mas agora está terminada
Eu espero que você não se importe
Espero que não se importe que eu tenha colocado em palavras
Como a vida é maravilhosa enquanto você está no mundo

Me sentei no telhado e retirei o musgo
Bem... Alguns dos versos me colocaram numa encruzilhada
Mas o sol estava adorável enquanto eu escrevia esta canção
É para pessoas como você, que a mantém viva

Então perdoe-me se eu esquecer, mas estas coisas eu faço
Perceba que esqueci, se são verdes ou são azuis
De qualquer maneira, o que eu realmente quero dizer
É que seus olhos são os mais doces que já vi




sexta-feira, 17 de maio de 2013

PEDAGOGIA WILLEMS - O MOVIMENTO SONORO E A ALTURA DO SOM

Antes mesmo de falarmos sobre o movimento sonoro (ascendência e descendência do som) queremos chamar a atenção para as causas que dificultam a não distinção do agudo e grave (haut e bass).
o primeiro caso, sabemos que os termos grave e agudo são abstratos e por isso mesmo
Willems distingue tres causas fundamentais:

a) A criança não tem a mínima noção da acuidade sonora;
b) A criança tem uma noção falsa e confunde o grave com o agudo.
c) A criança tem uma noção justa mas só distingue grandes diferenças.

                                                                     

No primeiro caso, sabemos que os termos grave e agudo são abstratos e por isso mesmo é mais fácil para a criança sentir o movimento sonoro, elemento mais concreto.
Para o exercício do movimento sonoro, pode-se utilizar: a flauta de êmbolo, o xilofone, a sirene, flauta de Pan, piano, voz, etc. realizando em primeiro lugar a subida e descida do som ( ascendência e descendência do som ). Uma vez adquirido o sentido do movimento sonoro, a criança esta apta a exercícios variados de diferenciação de altura.
No segundo caso observa-se se a criança troca o alto pelo baixo, confunde altura com intensidade ou altura com o timbre. É necessário que o professor verifique qual a natureza do erro para que possa realizar os exercícios que se fizerem necessários.

                                                                                 

Willems no seu livro "Le Valeur Humaine De L´Education Musicale" enfatiza a importância de um trabalho progressivo e no seu livro "Oirelle Musicalle I" ele narra uma série de casos concernentes a falsas associações o que dificulta sentir a altura do som corretamente.
Ex.: A criança associa alto com grosso e forte;  a criança confunde a intensidade (se cantam ascendentemente porém em decrescendo, dizem que o som está descendo e vice-versa no caso de cantarem descendentemente crescendo). Confundem o timbre com a altura ( pede-se um som, a criança canta "na"; pede-se um som mais agudo e ela canta o mesmo som dizendo "ni").

No terceiro caso, é necessário um trabalho constante com material sonoro, principalmente com espaço intratonal, o que facilita a discriminação da altura do som. A atenção é indispensável ao trabalho auditivo e somente através dela e da concentração pode se despertar na criança a faculdade de escutar sensorialmente. Em muitos casos é necessário aprender a escutar. É de suma importància despertar a curiosidade, interesse, amor ao som e a música. Uma atitude cerebral pode entravar a impulsão e intuição. alguns pedagogos pedem para refletir antes de agir, entretanto geralmente a ação tem precedido ao pensamento e na arte, devem açao e pensamento se interpenetrarem de uma forma harmoniosa.


quinta-feira, 16 de maio de 2013

PEDAGOGIA WILLEMS - O Rítmo na Educação Musical

                                               O RITMO NA EDUCAÇÃO MUSICAL

                                                                            


                                                  
Nota-se na Educação Musical uma deficiência geral no trabalho de rítmo, daí a importância de se exercitar e desenvolver desde cedo o sentido do ritmo vivo, do instinto rítmico propriamente dito.
Sabe-se que através do ritmo se trabalha o aspecto fisiológico corporal, daí a importância da aquisição do sentido de tempo, elemento primeiro e fundamental. O sentido de tempo é que nos dá a sensação do deslocamento do centro de gravidade.
Embora o nosso trabalho não se dedique a dança, mímica, nem mesmo a rítmica, devem ter os alunos um mínimo de sentido plástico que será conseguido através de movimentos naturais (com as mãos, os batimentos) ou pelos movimentos corporais ( marchas, saltos, balanceios ).

Willems enfatiza a importância dos batimentos (frappès) pois além das crianças aceitarem com interesse, constituem um dos melhores meios de despertar e desenvolver a vida rítmica, além de propiciar um ponto de partida para a improvisação. Esse trabalho exige do professor uma certa habilidade para reagir às sugestões das crianças. Deve ele poder adaptar os exercícios, levando em consideração as possibilidades do grupo.

Os exercícios devem ser simples, obedecendo a uma ordem progressiva de dificuldade, porém o professor deve ser exigente na precisão da execução. O "choque sonoro" é o elemento primeiro do ritmo musical, por isso o escutar é de suma importância para a precisão do movimento fisiológico.
Através deste escutar rítmico é que se obtem uma atitude receptiva auditiva tão necessária ao trabalho musical.

Os batimentos convidam as crianças a uma participação ativa e eles empregam suas mãos de forma variadas. Realiza-se também movimentos de alternância das mãos, já acrescentando a rapidez de movimentos que mais tarde poderá facilitar a técnica instrumental. Posteriormente, depois de exercitado o rítmo vivo é que se inicia o desenvolvimento da consciência rítmica e métrica. Poderá se usar: rítmos fortes e fracos, lentos e rápidos, exercícios de duração ( curto e longo ) e timbres variados.

Para despertar a consciência métrica, trabalha-se na canção as quatro modalidades rítmicas:

_Rítmo da canção
_Tempo
_O primeiro tempo (unidade maior)
_A divisão ou subdivisão

Pode-se também realizar exercícios com contagem dos tempos e aos poucos será introduzida a polirritmia. 
A variedade de exercícios nos propicia uma verdadeira ajuda ao trabalho de desenvolvimento do instinto e consciência rítmica.

Não se deve esquecer, diz Willems do valor musical humano da educação rítmica, que trabalha ao mesmo tempo o dinamismo, a motricidade, a sensorialidade e a audição.

Bibliografia: Edgar Willems

Lês Frappès et L' Instinct Rytmique
Lê Rytmique Musical et le Mouvement Naturel dans le Cours d´Education Musicale.

Do: 
 XX ENCONTRO DE VIVÊNCIAS MUSICAIS
Pedagogia Musical Willems
Carmem Mettig Rocha - Setembro - 2010


quarta-feira, 24 de abril de 2013

PARTITURAS GRATUITAS

                    Alguns links de sites que disponibilizam  partituras :


http://www2.cpdl.org/wiki/index.php/P%C3%A1gina_principal

SITE DA FUNARTE: (abaixo)

http://www.funarte.gov.br/musica/funarte-disponibiliza-partituras-on-line-para-canto-coral/


                                                     

http://pessoal.portoweb.com.br/clavedesul/part41/part41.htm
 



                                                              NACIONAL:


http://www.4tons.com/ (Portal de Partituras para Quartetos)
http://www.showbiz.mus.br ( Partituras, cifras, downloads, etc.)
http://pessoal.portoweb.com.br/clavedesul/ ( Partituras da Música Brasileira)
http://www.solanomusic.com/ (Várias partituras nacionais e internacionais)
http://www.partiturasencore.com/(Partituras no format .enc )
http://paulinyi.com/biblioteca_port.html (Música vocal e instrumental brasileira, da américa-latina e internacional)
http://www.cefetsp.br/edu/eso/laerte/sugestoessitespartituras.html (Relação de sites c/ partituras)
http://www.cifraclub.com.br/partituras/ (Top partituras vários estilos)
http://www.luteranos.com.br/101/coral/partituras.htm ( partituras sacras e de Natal)
http://nocmoon.com/2009/02/sites-de-partituras/ (Lista de site com partituras)
https://sites.google.com/site/estudantesflautastransversal/Home/partituras-nivel-iniciante (Partituras p/ flauta)
http://www.partituras-adventistas.com/ (Partitura p/ corais, quartetos…)
http://www.blogandogospel.com/partituras-gospel-gratis-sax-violino-teclado-trompete-e-etc/ (links p/ partitura gospel)
http://www.trompista.com/pt/viewtopic.php?f=11&t=127 (site voltado para trompistas)
http://www.blogbrasil.com.br/partituras-de-musicas-gospel/ (Partituras de musicas gospel)
http://bandasinfonica.com/partituras.php (links p/ partituras de grupos musicais)
http://www.esquinadamusica.mus.br/modules.php?name=Downloads (flauta, piano, violino, clarineta, sax, violão, teclado)
http://www.musicaeadoracao.com.br/partituras/ (Partitura p/ oboé, quartetos…)
http://www.advir.com.br/musica/ (Site oficial da música sacra adventista. Contém artigos, notícias, partituras, links etc.)
http://www.pibrj.org.br/musica/ (Partituras infantis gospel )
http://www.marcelomelloweb.kinghost.net/mmlinks_partituras.html ( links de partitura e notação musical)
http://flautadoce.orgfree.com/partituras.html (várias partituras eruditas e populares para flauta doce)
http://www.sarazate.com.br/links/partituras-para-coral (Partituras p/ coral)

 

                                                               INTERNACIONAL


http://partiturasonline.webnode.com.br/( partituras em geral)
http://www.anyscore.com/ (Piano e outros)
http://www.easysheetmusic.com/default.asp ( Piano)
http://www.findfreesheetmusic.com (Partes para vários instrumentos e estilos)
http://sheetmusic.awardspace.com/ (Partituras Clássicas e modernas)
http://www.gmajormusictheory.org/Freebies/freebies.html (Partituras tradicionais de vários países p/ piano)
http://www.gmajormusictheory.org/Freebies/Guitar/guitarindex.html (Partes tradicionais p/ guitarra)
http://www.1001sheets.com/ (Piano)
http://www.pianomother.com (Piano)
http://www.freesheetpianomusic.com/ (Partituras Eruditas)
http://www.capotastomusic.com/ (Partitura e tablaturas p/ vários instrumentos)
http://www.greatscores.com/pt/p/sheet/instrument/Trumpet (partituras p/ trompete)
http://imslp.org/ (projeto visando ser o maior site de partituras do mundo)
http://www.clarinetemania.com/html/index.html (partitura p/ clarinetes)
http://icking-music-archive.org/ByComposer.php ( Arquivos históricos, partituras de diferentes épocas)
http://www.cantabilis.org/partituras/natal/natal.html (patitura de coral p/ natal)
http://www.palpitedigital.com.br/wp/2007/06/09/3500-partituras-para-download-enc-mid/ (3500 Partituras e cifras para download (.enc .mid))
http://personales.ya.com/partituras-luis/partituras.html (partituras completas p/ banda de música)
http://partiturasviolino.wordpress.com/ (Partituras p/ violino)
http://nathanrangel.multiply.com/journal/item/2 (Partituras Prisma)
http://nathanrangel.multiply.com/journal/item/1 (Partitura piano)
http://www.charliespiano.com/ (Piano)

 

terça-feira, 23 de abril de 2013

AULA DE CANTO COM CRIANÇAS

                           
                                                        
                                               
Pessoas que conseguem cantar com facilidade, que ouvem e já internalizam a melodia imediatamente são na sua maioria seres que desde bebês ou fetos conviveram com a música  Adultos que foram criados em igrejas ou que tiveram bons professores de música tem alguns diferenciais em relação à outros.

Crianças podem e devem estudar canto. Fazer aulas de música em qualquer modalidade só acrescentará a vida dessa "pessoinha" que deseja ter uma arte amiga que só a fará melhor a cada dia!


                                                                  

Sabemos que muitos professores de canto não permitem que crianças antes da adolescência que é uma estação de mudanças, façam aulas que possam desenvolver a voz e nós devemos  respeitar a opinião e a experiência de cada um.

Interessante é que a prega vocal de uma criança não difere entre os sexos até os 10 anos de idade. Ela possui um comprimento de 6 a 8 mm, vindo a crescer após os 10 anos.
No sexo masculino a mudança vem de forma grandiosa, quando eles mudam a voz a prega vocal vai para 17 a 21 mm enquanto que no sexo feminino a prega vai para 11 a 15mm. A laringe e as cavidades da face também sofrem mudanças nessa mudança de voz de criança para adulta.

O que não deve ser feito é sobrecarregar as crianças nas atividades de canto, de forma que ela venha tomar pavor.  O lidar com elas deve ser de forma lúdica, divertida, agradável, de forma que o seu aluno queira e tenha prazer em retornar.  

A frequência trabalhada deve ser sempre mais aguda porque é o natural no universo infantil. As músicas inseridas tem que dar prazer, não podemos deixar à escolha porque pode vir muito "jabá" das mídias mas podemos conversar e tentar descobrir o desejo da criança e o que melhor lhe apraz.

 Tenho visto trabalhos direcionados para o público infantil incluindo cds com músicas de tons baixíssimos, somente comerciais mas em contrapartida existe em nosso país lindos coros infantis, bem trabalhados por profissionais muito competentes fazendo com que os pequenos coristas mais tarde se transformem em excelentes ouvintes, regentes, compositores, cantores profissionais ou instrumentistas.

Segue pra vcs, segundo a minha experiência, algumas sugestões importantes que devem ser observadas e cuidadas em uma boa aula de canto ou de canto coral com crianças:                                                            

                                                         O professor de canto:

 _Deve estudar bastante a partitura que será ministrada, a criança sabe quando o seu professor está ou não seguro em sua aula;
_Estudar a parte instrumental para acompanhar de forma bonita e segura a canção que vai ser ensinada;
_Se não souber tocar nenhum instrumento deve procurar alguém que faça isso. A aula de canto pra criança deve ser sempre acompanhada porque com certeza a aula fica mais bonita e assim será mais atraente. A criança pode cantar a capella mas isso não quer dizer que ela não prefira o acompanhamento.
_Se não toca nenhum instrumento pode fazer uso de cds, gravar na internet a canção ou qualquer outra coisa fazer para que ouça bastante e chegue para sua aula seguro na canção que irá ensinar.
_Deve estudar a partitura minunciosamente, para economizar horas de ensaio e facilitar o aprendizado procure por trechos em que a letra é diferente mas a melodia é semelhante ou igual.
_Deve ter princípios básicos de respiração, articulação, postura, apoio e colocação de voz de forma que não force e provoque danos e nas pregas infantis;
_Deve estudar a letra da canção, quem sabe pode ser feito um trabalho de letra e rítmo, com lenga-lengas para fixação da aprendizagem antes de ser ensinado a melodia;
_Pode estudar a letra e conversar com a criança a respeito dela, se é uma história, uma frase, se tem palavras complicadas de se pronunciar, se o texto é familiar a ela, o que que ela achou, se já conhecia... Muitas outras atividades, usando a criatividade, podem ser feitas para fixação da letra e entendimento do que elas irão cantar;
_Deve de forma simples e clara tornar o ambiente agradável, explicando e brincando para que a criança se sinta feliz  e realizada de estar alí;
_Deve superestimar a sua aula, caprichar em tudo que vai ser ministrado, se vestir com roupas que não incomodem na hora de se sentar, dançar ou qualquer outra atividade fazer com os alunos;
_Planejar como será ensinado a nova canção e como fazer diferente as que elas já sabem;
_Permita que as crianças façam perguntas, dêem sugestões, participem ativamente nas atividades que envolvem movimentos vocais e corporais.
_Sempre buscar novas atividades, não repetir aulas lembrando que mesmo o que já foi feito pode ser feito outra vez de maneira diferente. A criança se cansa de estar vendo sempre a mesma coisa e pode se desanimar com as aulas;
_Deve dar um retorno para as crianças, depois de cada aula, de cada apresentação fazendo comentários positivos elogiando o que foi feito e de forma sábia dizer o que deve ser melhorado.
_Deve se apaixonar pelas suas aulas e passar o melhor de si para suas crianças deixando todos os problemas e acontecimentos tristes do lado de fora da sala porque as crianças não tem culpa do que pode ter acontecido e para elas você sempre vai ser o mágico da música!! 

                                                                                             Cláudia Cavalcante



         Vitória da Conquista-Ba, 23 de abril de 2013 (terça-feira)

Cláudia Cavalcante é licenciada em música pela Ufba/Salvador-Ba
Mestranda em Educação musical - UFBA
Professora de música no CENEB (Centro de Estudos Noturnos da Bahia)
Regente do Coral Uesb
Regente do Coral CCAA
Professora de piano, flauta doce e teoria musical na UESB
Corista no Coral Peniel
Contralto no Trio Karisma
Compositora de canções infantis
Arranjadora de canções MPB







sexta-feira, 19 de abril de 2013

CONCERTO DE PIANO - MARCOS FERREIRA E CLÁUDIA CAVALCANTE

CONCERTO NO IFBA DIA 11 DE ABRIL DE 2013

MARCOS FERREIRA E CLÁUDIA CAVALCANTE

                                                     http://youtu.be/vVmBEFiw7jQ

DE ONDE VÊM OS NOMES DAS NOTAS MUSICAIS



Nos países latinos e eslavos, a denominação das notas musicais deve-se ao monge italiano Guido D’Arezzo, que viveu no século XI. 

                     

Ele nomeou a escala ao se inspirar num hino a São João Batista, composto por outro monge, Paolo Diacono, três séculos antes. (Veja os versos abaixo.)

Em seus tratados, ele idealizou um sistema para recordar os tons das sete notas. Para isso, usou as sílabas iniciais de cada verso do Hino a São João Batista: Ut queant laxis/Resonare fibris/Mira gestorum/Famuli tuorum/Solve polluit/Labii reatum/Sancti Ionnis. Assim surgiram ut, ré, mi, fá, sol, lá – e o si, formado pelas iniciais do nome do santo. 


                           (Ut), Re, Mi, Fa, Sol, La e S. 

Ele adaptou, juntando as primeiras duas letras de Sancte e Iohannes. Cinco séculos depois, incomodado com o som da primeira sílaba, o músico Giovanni Maria Bononcini incrementou uma mudança. Excluiu o Ut e trocou pelo Do, de Dominus (Senhor). E, com essa benção celestial, sacramentou a nomenclatura das notas musicais.

No entanto, em alguns países, como a França, por exemplo, a primeira nota da escala continua sendo chama de ut. 


                Vamos ler mais uma vez:


"Ut queant laxis... 
resonare fibris...  
mira gestorum... 
famuli tuorum... 
solve polluti... 
labii reatum... 
Sancte Iohannes."


                                    Tradução:

Purificai bem aventurado João, os nossos lábios polutos, para podermos cantar dignamente as maravilhas que o Senhor realizou em ti.
Dos altos céus vem um mensageiro a anunciar a teu Pai, que serias um varão insigne e a glória que terias.

                                  Letra e música
Desde a Antiguidade, o padrão era usar letras para as notas. (O nosso sistema que é exceção, aliás. Começou com a loucura do monge e se espalhou principalmente para os países latinos.) 

Os nomes usados para designar as notas musicais tiveram origem nas letras dos diferentes alfabetos, como ainda hoje se usa nos países anglo-saxões,as notas são representadas por letras: C, D, E, F, G, A e B (ou H) onde o A corresponde ao lá, o B ao si, o C ao dó, o D ao ré, o E ao mi, o F ao fá e o G ao sol.

  Essa é uma das designações mais antigas, que nós usamos também em cifras. Mas o alfabeto grego arcaico, por exemplo, também já foi usado.

Fontes Curso Completo de Teoria Musical e Solfejo, de Belmira Cardoso e Mário Mascarenhas; Enciclopédia Britânica; Barsa.







terça-feira, 9 de abril de 2013

PAISAGEM SONORA - Plano de aula


                                                                       SUGESTÃO DE PLANO DE AULA
                                                                            (Nos dê sua crítica ou sugestão)

INSTITUIÇÃO: 
PROFESSOR: Cláudia Cavalcante Fonseca

DISCIPLINA: Artes/ Música

PÚBLICO ALVO: Alunos do Ensino Médio


                                      


CONTEÚDO:  Paisagem sonora 

TEMPO ESTIMADO: Cada aula no noturno tem 35min, precisaremos de no mínimo quatro aulas.

RECURSOS:
Instrumentos musicais, garrafas pets, latinhas de refrigerante, lápis, borracha, folha de papel, CD, DVD,data show, vídeos slides, câmera fotográfica, impressora, computador, e pen drive.


COMPETÊNCIAS: 

O trabalho com a Música deve se organizar de forma a que os alunos desenvolvam as seguintes capacidades:
  • Ouvir, perceber e discriminar eventos sonoros diversos, fontes sonoras e produções musicais;
  • Brincar com a música, imitar, inventar e reproduzir canções musicais.

HABILIDADES:

O fazer musical:
  • Exploração, expressão e produção do silêncio e de sons com a voz, o entorno e materiais sonoros diversos.
  • Interpretação de música e canções diversas.
  • Participação em brincadeiras, jogos cantados e rítmicos.

DESENVOLVIMENTO: 

O conceito de “Paisagem sonora” tornou-se conhecido para os educadores em música a partir do trabalho produzido pelo professor canadense Murray Schaffer. Em seus estudos, ele trabalha com a percepção de sons de diversos ambientes e utiliza estratégias para sensibilizar o ouvido de seus alunos, como fazer um passeio por um bosque de olhos vendados. 

Para que os alunos sejam estimulados a perceber e identificar sons nos diversos ambientes em que vivem e de entender melhor o conceito de paisagem sonora, a primeira atividade proposta é um passeio pela escola. Nesse passeio, eles registram em gravadores os sons do pátio, da diretoria, da rua, da sala de aula, da cantina, da aula de Educação Física, do recreio, da sala dos professores, da entrada, da saída, enfim, os sons que compõem a paisagem sonora da escola. 


De volta à classe, todos ouvem as fitas, tentando descobrir a localização de cada som e suas principais características - se são altos ou baixos (volume), graves ou agudos, longos ou curtos (duração). Para ampliar o foco da discussão, pode-se conversar com os alunos e pedir-lhes que descubram outras paisagens sonoras diferentes da escola: a rua em diferentes horários, a academia, a casa, o shopping, um ginásio de esportes, a igreja, algum ambiente comercial, etc.


Na aula seguinte, o professor propõe uma nova audição do material recolhido para reorganizá-lo, estimulando os alunos a perceberem pelos sons os locais de onde foram gravados. Depois, pode-se construir um roteiro como se fosse um percurso pela escola e produzir com o grupo uma nova gravação, seguindo o roteiro. Essa gravação deve corresponder a um passeio sonoro pela escola.
Esse trabalho pode ser realizado em grupos, com cada um cuidando de uma parte do passeio. 

Para finalizar a atividade, toda a classe ouve o “Passeio sonoro pela escola”, avalia os sons que descobriram nesse percurso e como esse trabalho interferiu na percepção de outros sons fora da escola.

domingo, 7 de abril de 2013

MÚSICA CONTRA O ABORTO

                       MÚSICA CONTRA O ABORTO 
                          (sob o olhar do bebê)

Estima-se que sejam realizados no mundo 44 milhões de abortos anualmente, sendo pouco menos da metade destes procedimentos realizados de forma insegura.


                                                            


A questão do aborto é polêmica, são casos e casos, quem somos nós para julgar mas... recebi uma letra da autoria de Vanessa Spalding, coloquei a música e o arranjo e entramos no Fest UESB 2012, a apresentação não ficou muito boa devido o sonoplasta ter colocado o microfone da back vocal mais alto que todo o grupo mas creio que apesar disso tem como apreciá-la.

Quem gostar do trabalho e quiser a partitura, tentarei colocá-la aqui o mais breve possível, no momento disponibilizo a letra. Obrigada!

                                     Cláudia Cavalcante


Link no youtube: 

http://youtu.be/ShlHKmoHQ8A

Se você não conseguir entrar pelo link, é fácil encontrar no youtube com o nome: Eu quero viver Fest Uesb 2012


 EU QUERO VIVER

Letra: Vanessa Spalding
Música e arranjo: Cláudia Cavalcante Fonseca

EU NUNCA VEREI AS ESTRELAS, O CÉU, O UNIVERSO!
NÃO VIBRAREI DE ALEGRIA QUANDO ESTIVERES POR PERTO!
NUNCA FITAREI TEU ROSTO NEM CHORAREI QUANDO DISSERES NÃO
PORQUE QUERES DESISTIR TÃO CEDO
TE FAREI MUITO FELIZ!
EU CUIDAREI DE TI TE DAREI CONFORTO
ME DEIXE VIVER! 
DIGA NÃO A INTERRUPÇÃO DA VIDA!
DIGA NÃO A INTERRUPÇÃO DA VIDA!

EU JÁ TE AMO E ANSEIO TE ABRAÇAR
NÃO ENTENDO PORQUE ESTÁS A HESITAR
DEIXE QUE DEUS DECIDA O MEU DESTINO!
ESTA É A MINHA ÚNICA OPORTUNIDADE!
NÃO ME PRIVE DA FELICIDADE!

ESTA É A MINHA ÚNICA OPORTUNIDADE!
EU SONHO CONTIGO
SONHO NASCER!

EU QUERO VIVER!!












sexta-feira, 29 de março de 2013

BOLO DA AMIZADE

Após 60 horas de cantoterapia nos reunimos para o adeus e adaptei as qualidades de cada aluno a uma receita de bolo, o que não é novidade mas mesmo assim resolvi compartilhar aqui com vocês.

Nesse período que passei como facilitadora no curso de musicoterapia  em Atlanta-GA-EUA, aprendi muito e pude mais uma vez vivenciar o inacreditável poder da música na vida do ser humano.

Segue o link do vídeo no youtube:

                                  http://youtu.be/WbJnKCOjCUU


terça-feira, 26 de março de 2013

PEDAGOGIA WILLEMS - A AUDIÇÃO

                                        26 de março de 2013 - Vitória da Conquista-Ba

A AUDIÇÃO:


Para Edgard Willems, o ouvido musical perfeito comporta:

_Uma sensorialidade + desenvolvida

_Uma afetividade + consciente

_Uma inteligência + completa

Somente englobando o rítmo, o ouvido, a sensibilidade e a inteligência musical num só conceito é que podemos dizer que o aluno é "dotado".
Confundir a musicalidade com um bom ouvido musical é um erro!
O aluno pode ter uma boa memória rítmica, ter audição absoluta, e assim mesmo, ter dificuldades em reter sons sucessivos de uma melodia ou de um acorde sem o apoio dos nomes das notas, o que não deveria acontecer!
Willems admite que o "dom musical" só pode ser exercitado e desenvolvido graças ao trabalho da audição que se apresenta em diferentes domínios.

_Sensorialidade auditiva (ato de ouvir)
_Sensibilidade afetiva (ato de escutar)
_Inteligência auditiva (ato de entender)

                                                                     

Com a democratização do ensino musical nas escolas, os professores se viram diante de alunos poucos ou não dotados e isso foi uma oportunidade para Willems trabalhar casos mais específicos e difíceis que muito o ajudou na sua pesquisa pedagógica.
Vários alunos apresentavam problemas com o rítmo, uma audição deficiente, problemas de entoação, num ensino predominantemente cerebral e assim, Willems foi buscar solução no trabalho prático.

Enfatizou as bases materiais da educação musical, utilizando um variado material sonoro, conseguindo obter uma base experimental concreta.

Enfatizou os dados psicológicos relacionando os elementos da música aos elementos da natureza humana, unindo a música à própria vida.

A cultura auditiva, além de ser um dos fatores mais importantes da musicalidade, é também um elemento imprescindível para o bom desempenho instrumental.

Na página 15 do livro "Oreille Musical", Willems mostra o desenvolvimento do trabalho auditivo, embasado na psicologia, atendendo ao desenvolvimento progressivo da criança.

1. Desenvolvimento sensorial com material didático.
2. Estudo auditivo das escalas ( vista como conjunto de relações sonoras de intervalos)
3. Trabalho com espaço intratonal
4. Estudo dos intervalos melódicos e harmônicos no triplo aspecto (sensorial, afetivo e mental)

É importante que o professor não confunda o ensino musical com o estudo do conhecimento musical, pois nesse caso se trabalha apenas a inteligência, sem levar em conta a sensorialidade e a sensibilidade.

Crê Willems que na mão de um professor competente o aluno pode fazer progresso; este pedagogo deverá "conseguir unir a técnica à arte, a sensibilidade ao conhecimento e a virtuosidade ao dom do ensino"!

A responsabilidade do pedagogo é ao mesmo tempo séria, bonita e humana; lembra-nos Willems, que a Arte é uma ação humana, que significa sobretudo AÇÃO + AMOR À BELEZA.

Educação musical é AÇÃO + AMOR À BELEZA e não ensinamento.

O papel do professor é compartilhar esta rica experiência com seus alunos, entrar no domínio da sensibilidade, (centro do trabalho) ao lado dos outros aspectos físico e cognitivo.

O método Willems realmente é uma pedagogia que leva o professor a criar através das diversas qualidades do som, do dinamismo do rítmo, da melodia, do canto, das canções, das harmonias e dos movimentos corporais, momentos de vida, momento em que todas as qualidades, tanto do professor quanto do aluno são realmente  solicitadas, expressas, compartilhadas e humanizadas.

Estou convencida nesse momento, que o maior desafio que nos espera, é a preparação do professor, que ele possa compreender os princípios e fundamentos da educação musical, alimentar sua sensibilidade e sua consciência.
Ao lado disso tudo, buscar o seu entusiasmo, mola propulsora para o sucesso no trabalho, conseguindo assim, despertar no aluno o amor pela música.
(Extraído da apostilha PEDAGOGIA MUSICAL WILLEMS de Carmem Mettig Rocha do XX Encontro de vivências musicais/ Salvador-Ba, setembro de 2010)